Coordenadoria de Educação Ambiental da Sedam realiza diversas ações de cunho social

ações educaçao ambiental

Aproveitando o início do ano, a coordenadoria de Educação Ambiental (CEAM) da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam) está distribuindo Calendários de parede de 2018 alusivos ao Meio Ambiente para os Escritórios Regionais (Ergas), Prefeituras e associações. Os calendários possuem mensagem de educação ambiental com temas como queimadas, desmatamento, água, período de defeso e unidade de conservação (Estação Ecológica de Samuel).

Além disso, a Coordenadoria finalizou o ano de 2017 com diversas ações de cunho social no mês de dezembro.

No dia 16 de dezembro a ação foi realizada em conjunto com a Coordenadoria de Unidades de Conservação (CUC) e  com a Coordenadora Regional CR1 do ICMBio, Simone dos Santos. A ação aconteceu com crianças e adolescentes que vivem na Agovila – Projeto de Assentamento Joana D’Arc III, com a exposição de desenhos que buscavam definiar a compreensão das crianças sobre a vida no assentamento e a conexão com a proximidade da Estação Ecológica Serra dos Três Irmãos. Além da promoção da interação entre o público, por meio do uso dos Jogos Educativos produzidos pela Secretaria com o tema queimadas. A atividade fez parte de um dia de ação social em prol de 50 crianças e adolescentes com a realização de atendimento odontológico para crianças e adolescentes, organizado pela Gestora da ESEC – Serra dos Três Irmãos, Juciley Cândido Gomes.

No dia 18 de dezembro a CEAM participou da 1ª Edição do Vivendo com o Orgulho do Madeira promovida pela Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social (SEAS) e contou a participação de outras secretárias e autarquias Estaduais. A promoção de cursos, exames laboratoriais, entrega de mudas, distribuição de materiais educativos de cunho ambientais estão entre as diversas ações realizadas.  O evento contou com um publico de 300 pessoas.

 A coordenadora de Edução Ambiental da Sedam, Maria do Rosário, ressalta que as ações não seriam possíveis sem o apoio fundamental de outras coordenadorias da Secretaria e, em especial da Coordenadoria de Unidades de Conservação (CUC).

Fonte
CEAM - Coordenadoria de Educação Ambinetal
ACRI - Assessoria de Comunicação e Relações Institucionais

Sedam conclui implantação do Ponto eletrônico biométrico

PONTO ELETRONICO SEDAM

 

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam) concluiu a implantação do SEI (Sistema Eletrônico de Informação) através do controle de frequência por meio de Ponto Eletrônico com o cadastro de todos os servidores e a instalação dos pontos biométricos nos escritórios regionais do órgão.

De acordo com o secretário Vilson de Salles Machado, isso foi possível graças ao Decreto 21.971, de 22 de maio de 2017, que instituiu o Sistema de Controle de Frequência por meio de Ponto Eletrônico, o Sistema de Compensação de Horas e o Escritório Remoto – Home Office, no âmbito da Administração Direta e Indireta do Poder Executivo.

Com o ponto eletrônico o servidor tem exatamente o controle de entrada e saída na sua jornada diária, calculando assim o número de horas trabalhadas automaticamente e facilitando a fiscalização por parte do Recurso Humano (RH). Além disso, o servidor pode verificar, ao longo do dia, qual horário ele entrou no serviço e qual é a hora programada para que ele encerre a jornada de trabalho junto ao Portal do Servidor.

“Com isso temos a praticidade na geração de relatórios do ponto eletrônico que podem ser gerados em segundos, com apenas alguns cliques no sistema. Com isso, a equipe ganha tempo para trabalhar em aspectos estratégicos da gestão de RH”, explicou Janayna Pupp, coordenadora de Recursos Humanos da Sedam.

Para o secretário da Sedam, o SEI também veio como uma grande modernização na gestão interna, aperfeiçoando as atividades administrativas da Secretaria, tornando ainda mais transparente e funcional suas tarefas. “Com a implantação do SEI tivemos bastantes facilidades, por ser um sistema 100% WEB que pode ser acessado por diversos tipos de equipamentos, como computador, tablets, smartphones e outros”, explicou.

Fonte
Texto: Marilza Rocha
Secom - Governo de Rondônia

 

 

Prazo para inscrição no CAR termina dia 31 de dezembro

CAR2

O Cadastro Ambiental Rural (CAR) passou a ser exigência desde 2016, conforme previsto no Novo Código Florestal (Lei n° 12.651, 25 de maio de 2012). É um registro eletrônico, por meio do qual são mapeadas as propriedades rurais sobre as questões ambientais, ajudando no monitoramente e combate ao desmatamento das florestas e vegetações nativas do país.

O prazo final para declarar a propriedade é agora no dia 31 de dezembro de 2017. Aqueles que não se regularizarem irão ter a impossibilidade de solicitar crédito agrícola, não poderão aderir ao Programa de Regularização Ambiental (PRA) e nem emitir Cota de Reserva Ambiental, além de cumprirem penalidades cometidas antes de 22 de julho de 2008.

O cadastro pode ser realizado tanto nos Escritórios da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam) quando no da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), de forma gratuita para os agricultores familiares com áreas de até quadro módulos fiscais (240 hectares).

O Secretario de Desenvolvimento Ambiental, Vilson de Salles, ressalta a importância do CAR e orienta que todos os proprietários rurais procurem se regularizarem ambientalmente, pois aqueles que declarem o CAR até o dia 31 terão alguns benefícios como o que no caso de área de APP (Área de Preservação Permanente), que, por exemplo, se existe na propriedade um rio de 10 metros, o CAR sendo declarado até o dia 31 de dezembro, ao invés do proprietário ter que recuperar 30 metros de APP, se ele tiver até 60 hectares poderá recuperar 5 metros, até 120 hectares serão 8 metros de recuperação e até 240 hectares serão 15 metros e, acima disso serão 30 metros de recuperação, além de outros benefícios disponibilizados pelo Código Florestal para os produtores que procurarem se regularizar ambientalmente.

 
Fonte
ACRI - Assessoria de Comunicação e Relações Institucionais

Inscrição no Cadastro Ambiental Rural é prorrogada até 31 de maio em Rondônia

Foi prorrogado até 31 de maio o prazo para proprietários rurais se inscreverem no Cadastro Ambiental Rural – CAR, conforme Decreto Nº 9.257 assinado pelo presidente Michel Temer em 29/12/2017.

O CAR é um registro eletrônico obrigatório para os proprietários de imóveis rurais do país e é um dos mecanismos mais importantes para implementar o Código Florestal.

Na base de dados da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (sedam) consta nesta sexta-feira (5) o registro de 105.300 imóveis rurais no Cadastro Ambiental Rural (CAR). Isso representa 88% da área cadastrável do Estado. A meta é atingir 120 mil na base de dados federal do CAR.

O coordenador estadual de Monitoramento e Regularização Ambiental Rural, Arquimedes Ernesto Longo, alertou que aqueles produtores que não se regularizarem irão ter a impossibilidade de solicitar financiamentos em bancos oficias, não poderão aderir ao Programa de Regularização Ambiental (PRA), nem emitir Cota de Reserva Ambiental e ainda irão cumprir penalidades cometidas antes de 22 julho de 2008.

“É importante o produtor fazer sua inscrição no CAR não só pelo direito ao crédito, mas pelo direito de redução de APP e reserva legal”, explicou Arquimedes Longo, acrescentando que um proprietário com imóvel de 60 hectares e que tenha um igarapé de 10 metros de largura dentro da sua propriedade a APP (Área de Preservação Permanente) que ele terá que recuperar será de cinco metros de largura se ele tiver inscrito no CAR. Caso contrário ele terá que recuperar 30 metros de largura.

Outro benefício importante, citado pelo engenheiro da Sedam, foi que caso este mesmo proprietário tenha desmatado todo seu imóvel antes de 22 de julho de 2008 ele terá que recuperar 10% da reserva legal se ele tiver inscrito no CAR. Do contrário, ele terá que recuperar 50% da reserva legal.

Segundo Arquimedes Longo, o produtor rural deve aproveitar o novo prazo para regularizar a situação do seu imóvel e aqueles produtores que possuem áreas de até quatro módulos fiscais, que correspondem a 240 hectares, devem procurar os escritórios da Sedam ou da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) para fazer o cadastro dos imóveis gratuitamente.

 

Fonte
Texto: Marilza Rocha
Fotos: Secom
Secom - Governo de Rondônia

Escritório Regional da Sedam em Ariquemes disponibiliza 22 mil mudas 

banco de sementes em ariquemes

O Escritório Regional da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam) de Ariquemes, por meio do Viveiro de Produção de Mudas, estará disponibilizando para o final deste ano 22 mil mudas de 14 espécies, entre as quais estão a Castanho do Brasil, Açaí, Ipê Roxo e Amarelo, Teca, Jatobá, Itauba, Bacaba, Cupuaçu, Oti , dentre outras.

O objetivo ao disponibilizar essas mudas de árvores é ajudar a recuperação e o reflorestamento de áreas degradadas, principalmente em áreas nas áreas de preservação permanentes – APP’s.

A Sedam atenderá os produtores rurais que serão cadastros em parceria com as Prefeituras do Vale do Jamari e a Emater.

No município de Alto Paraíso serão distribuídas 4,5 mil mudas em conjunto com a Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (SEPOG), com a Secretaria Municipal de Agricultura e com a Associação dos Cafeicultores de Alto Paraíso – ACAP.

Dentre as mudas produzidas, o Escritório Regional destaca a produção de 12 mil mudas de castanha, que tem como intenção o fomento do replantio, visando a exploração futura do fruto, cujo se encontra com alta valorização no mercado.

sementes ari

 

Fonte
Helio Gomes Oliveira - Gerente Regional 
ACRI - Assessoria de Comunicação e Relações Institucionais

 

Página 1 de 8

Banner_Landing_750x120 modulo_de_consulta_publica_CAR_menor_03_03 fogo750x120 Banner_-_site_sedam UMIRIZAL

MENU